BIOGRAFIA

Ex-jogador do Atlético Mineiro e Seleção Brasileira.

História



José Reinaldo de Lima nasceu no dia 11 de janeiro de 1957, em Ponte Nova/MG. Em 1971, o talento precoce fez com que o Clube Atlético Mineiro o buscasse em sua cidade, com apenas 14 anos, para fazer um teste contra o time profissional do Galo, que viria a ser o campeão brasileiro daquele ano. A habilidade com a bola chamou a atenção de todos naquele dia e rapidamente assinou contrato com o clube. Apenas dois anos depois, aos 16 anos, Reinaldo já disputava o seu primeiro campeonato brasileiro pelo time profissional do Atlético/MG.
Desde a sua estreia foi considerado uma das maiores revelações do futebol brasileiro e mais tarde aclamado como um dos mais talentosos jogadores de futebol de todos os tempos, sendo coroado como Rei por uma das torcidas mais apaixonadas do país. Logo chegou também à Seleção Brasileira,da qual vestiu a camisa por 37 vezes e marcou 14 gols e disputou a copa do mundo de 1978 na Argentina.

 

Ponte Nova - 1957



José Reinaldo de Lima nasceu no dia 11 de janeiro de 1957, em Ponte Nova. Filho de Mário e Maria Coeli, o sexto de oito irmãos, quatro mulheres e quatro homens. Reinaldo, desde criança, tinha o futebol como atividade favorita e aproveitava as horas vagas para jogar com os mais velhos, já que as partidas com os garotos da sua idade ficavam desequilibradas por sua técnica impecável.

 

Chegada ao Atlético - 07 de setembro de 1971



No feriado do dia 7 de setembro de 1971, a equipe juvenil do Atlético, comandada pelo Técnico Barbatana, foi até Ponte Nova para jogar um amistoso na cidade. Enquanto o jogo acontecia, Reinaldo participava do desfile de Independência com a sua bicicleta, mas, mesmo sem jogar, todos na cidade não paravam de falar para o Barbatana que na cidade existia um fenômeno de apenas 14 anos que fazia maravilhas com a bola. Intrigado, o treinador foi buscar o garoto no meio do desfile e no mesmo dia o levou para Belo Horizonte para fazer um teste no Atlético. Por uma coincidência, aquele teste foi realizado em um treino da equipe profissional do Atlético, um time repleto de estrelas e campeão brasileiro daquele ano. Reinaldo se destacou tanto que com apenas quinze minutos de treino o Técnico do time profissional, Telê Santana, foi logo falando: “Não precisa mais do que isso, pode levar para assinar contrato".

 

Baby Craque - 1973



Apesar de ter idade para jogar na categoria dente de leite, começou a jogar na categoria acima, o juvenil. Mas muitas vezes foi chamado para jogar nas outras categorias para ajudar o time com o seu futebol diferenciado. Em quase todas as partidas que jogava era eleito o melhor jogador e ganhava muitos prêmios. Logo foi apelidado de “baby-craque” pelo escritor Roberto Drummond e a partir daí era assim que todos se referiam a ele. Em 1973, com apenas 16 anos, Reinaldo começou a jogar no time profissional do Atlético/MG e disputou o seu primeiro Campeonato Brasileiro.

Punho Cerrado



Em 1975 passou a comemorar seus gols com o braço esquerdo erguido e o punho cerrado. Um gesto que tinha ficado famoso através do grupo dos Panteras Negras que combatiam o racismo nos EUA. O punho cerrado era um gesto revolucionário e socialista e Reinaldo o fazia para protestar contra a ditadura que governava o Brasil naquela época. O gesto foi considerado polêmico e fez com Reinaldo sofresse muita perseguição por parte de grupos reacionários, mas também serviu para torná-lo uma referência entre artistas e intelectuais de esquerda.

Seleção Brasileira - 1975



No 30 de julho de 1975, em um jogo contra a Venezuela, em Caracas, Reinaldo vestiu pela primeira vez a camisa da Seleção Brasileira. A partir dali fez parte de quase todas as convocações, interrompidas apenas pelos problemas no joelho que o perseguiram por quase toda a carreira. Vestiu a camisa da Seleção Brasileira por 37 vezes, marcou 14 gols, foi a Copa do Mundo de 1978 e jogou como titular nas eliminatórias da Copa de 82 não tendo sido convocado na lista final por receio de que suas constantes lesões o impedissem de jogar.

Rei, Rei, Rei, Reinaldo é nosso Rei!



Em 1976, Reinaldo conquistou seu primeiro título no Campeonato Mineiro quebrando uma longa hegemonia do rival no estado. Suas exibições geniais fizeram com que conquistasse a admiração de todos e passou a ser chamado de Rei pela torcida do Atlético que eternizou o grito “Rei, rei, rei, Reinaldo é nosso Rei”.

O ano do recorde - 1977



A fama de Rei começou a se estender por todo o Brasil e as atuações de Reinaldo ajudaram o Atlético a chegar na final do Campeonato Brasileiro de forma invicta, sendo ele o artilheiro com 28 gols em apenas 18 jogos, um recorde em número de gols que demorou 20 anos para ser quebrado e em média de gols nunca alcançado até hoje.

 

Copa do Mundo - 1978



Na Copa do Mundo de 1978 Reinaldo era a grande esperança de gols da Seleção Brasileira, porém estava com uma grave lesão no joelho que o atrapalhava de jogar o seu melhor futebol. Sua importância era tão grande para a seleção que o técnico Cláudio Coutinho mandou comprar um aparelho de fortalecimento muscular exclusivamente para a sua recuperação. Porém as dores o impediram de disputar todos os jogos, tendo jogado apenas as três primeiras partidas. O primeiro gol da seleção naquela copa foi marcado por Reinaldo e o jogo contra a Suécia terminou empatado em 1x1.

Atlético x Flamengo - 1980



A final do Campeonato Brasileiro de 1980, disputada entre Atlético e Flamengo no Maracanã, é considerada por muitos como a melhor final em toda a história do campeonato. Embora o Atlético tivesse a vantagem de empatar por ter vencido o primeiro jogo no Mineirão por 1x0, uma vitória simples do Flamengo lhes daria o título, pois tinham a vantagem de terem classificado com melhor pontuação. O jogo foi muito disputado e Reinaldo sofreu uma grave distensão na coxa direita, ainda assim teve que ficar em campo, pois o Atlético não podia mais fazer substituições. Mesmo machucado e mal podendo andar, Reinaldo fez dois gols calando o Maracanã lotado por quase 200.000 torcedores. O Atlético acabou perdendo a partida por 3x2 e também o título, mas esse jogo é lembrado pela atuação fantástica de Reinaldo e sua impressionante superação.

Copa do Mundo de 1982



Reinaldo disputou com a Seleção Brasileira as eliminatórias para a Copa do Mundo de 1982 na Espanha, tendo feito o gol que selou a classificação brasileira no jogo contra a Bolívia. Porém no momento da convocação final o técnico Telê Santana acabou não o convocando alegando que não saberia se Reinaldo teria condições físicas de ir àquele mundial em razão do histórico de lesões do atacante. A Seleção acabou sendo eliminada nas quartas de final e anos mais tarde Telê declarou: “Com Reinaldo teríamos sido campeões, tenho certeza.”

 

Últimos anos no Atlético - 1985



Reinaldo sempre foi um jogador muito identificado com o Atlético/MG, com apenas 18 anos já era aclamado como Rei pela apaixonada massa alvinegra e ele correspondia em campo com gols e jogadas geniais. Tornou-se um ídolo incontestável e o maior artilheiro do Clube Atlético Mineiro com 255 gols. Saiu do Atlético em 1985 e teve passagens rápidas por outros clubes até encerrar sua carreira no ano seguinte.

FALANDO SOBRE O REI

Depoimentos sobre o Rei
Ele driblou o zagueiro e o Mineirão inteiro

KAFUNGA

Ex-goleiro do Clube Atlético Mineiro
Olha, até nisso eu dei sorte. Se o Reinaldo fosse fisicamente perfeito, poderia bem ser capaz de me relegar ao segundo plano

PELÉ

Atleta do Século
Reinaldo foi um jogador maravilhoso. Eu sempre digo que seria o jogador que mais se aproximaria de Pelé se não fossem tantos problemas de joelhos e cirurgias.

ZICO

Ex-jogador do Flamengo e da Seleção Brasileira
Dentro de campo sem dúvida o Reinaldo foi o melhor jogador que eu vi, e desde muito jovem no dente de leite e no juvenil ele já era diferenciado. O profissional não ensinou nada a ele, já chegou pronto.

TONINHO CEREZO

Ex-jogador do Clube Atlético Mineiro
Reinaldo é peça rara da escultura do futebol. Se você quer saber quem é o Rei, pergunte à bola!

RAIMUNDO FAGNER

Músico e Compositor
O Reinaldo era absolutamente um gênio, um jogador extraordinário capaz de se desvencilhar da marcação em um espaço muito pequeno. Todo dia fazia coisas muito diferentes e jogadas geniais.

MARCELO OLIVEIRA

Ex-jogador do Clube Atlético Mineiro

FALE COM O REI

Entre em contato com o Rei!